Notícias

Auditor diz que 'é difícil' devolver dinheiro de fraude no ISS

Magalhães, que fez acordo de delação premiada com o Ministério Público, confirmou que gastava altas somas com viagens e garotas de programa, além de carros e um barco de R$ 500 mil.

Disse ter gasto muito dinheiro com prostitutas caras. "Paguei a determinada pessoa que saiu em capa de revista R$ 5.000."

Mesmo com as despesas, em nove anos, ele, suas empresas e sua esposa acumularam R$ 19 milhões em imóveis e itens de luxo, segundo o Ministério Público.

Perguntado se poderia devolver a propina, respondeu: "Não dá para fazer isso. Só se eu bater na porta de um monte de meninas por aí e tentar devolver".

Ao programa, Magalhães afirmou que resolveu delatar o esquema, após ser preso, porque temia se afastar do filho. "No momento em que fui preso eu estava com muito medo de perder a guarda do meu filho".

Magalhães negou que tenha participado do financiamento de campanhas políticas. Disse, porém, que empresas do setor imobiliário chegavam a saber de antemão os nomes de pessoas ligadas ao setor fiscal que depois ocupariam cargos na prefeitura.

Fonte: http://bit.ly/183P3iF

Veja também:

© Copyright 2011 - Krieger Advocacia Especializada